Gay eu? Claro!

Não consigo definir uma fase em que me descobri como gay, fico perdido entre quando tinha uns 6 anos e achava o Vinícius da minha sala o menino mais bonito do mundo ou quando aos 9 já ia fazer “brincadeiras” com meu primo nos fundos da casa da minha vó. Este que foi a primeira pessoa com quem tive uma relação homossexual, aos 14 anos de idade. Sim, PASME!

Quanto ao me aceitar como gay, isso pra mim nunca foi novidade. Claro que eu tive aquela coisa de “Meu Deus, eu sou uma aberração!”, mas não acredito que foi uma das piores fases da minha vida, minha própria aceitação veio suave e clara pra mim. Sou gay, encarei os fatos e vamos a luta por felicidade. O que mais me incomodou nessa cronologia foi a forma como minha mãe se mostrou surpresa pra uma coisa, que pra mim ela sempre se mostrou natural.

Desde pequeno sempre vi minha mãe se dar bem com gays, ela até tinha amigos próximos que sempre a via conversando, por isso acreditei que minha homossexualidade seria assumida num ambiente livre de preconceitos, mas não foi. Meu pai também sempre muito ignorante (sim usarei esta palavra), jamais aceitaria ter um filho gay, pra ele seria um martírio ter que dar a cara a tapa pra todo mundo. Porém, gente, quem nunca percebeu que o filho mais velho dele era um tanto “diferente”? Não que eu seja afetado, mas minha homossexualidade sempre ficou muito as claras. Hoje, graças à Deus, sou assumido pra todos, desde meus avós aos meus primos que ainda nem falam e não enfrento qualquer preconceito na minha família, se sentir que tenho também, simplesmente me afasto do ser, por que de boa, não é parente pra mim.

Pra mim, ser gay sempre foi um motivo de orgulho, já me envergonhei às vezes, principalmente naquela época chata da escola. Mas me aceitando do jeito que sempre me aceitei ser diferente pra mim era o máximo. Tinha vontade de gritar para os meninos “MOOOOORRAM que eu sou viadinho sim e vocês são péssimos perto de mim!” É… típico de um aquariano isso. Aliás, logo que me assumi em casa, isso aos 17 anos, contei para os meus colegas de classe e disse pra eles que eu era gay sim e que todos de casa já sabiam, finalmente acabaram-se todos os motivos daquelas piadas que aguentei desde criança. Deveria ter feito isso aos 9 anos de idade (risos).

Este é meu texto de entrada como colaborador no Estação 47, estou muito feliz pelo convite propriamente feito pelo The Serious. Sempre vou trazer um pouco das coisas que este demente apaixonado aqui escreve! 😉

Anúncios

Sobre The Dreamer

Um aquariano com problemas de relacionamentos amorosos. Cansado de buscar por amores, acabou encontrando nas impossibilidades razões para suas emoções através das palavras. Cheio de sentimentos e amor, acredita que um dia vai amar e receber todo o amor que merece. Enquanto isso não acontece, segue perdido em meio aos seus pensamentos, livros, séries e músicas. Sonha com beijos que se foram e anseia pelos que estão por vir. Só tem medo. Medo que o que mais deseja, não volte.

Publicado em fevereiro 11, 2012, em A descoberta, The Dreamer. Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: