Aceite quem você é!

Dentre os meus amigos, acredito ser o que mais tem o perfil de gordinho. Não por estar fora do IMC normal ditado pela OMS, mas por não possuir o abdômen tanquinho que todos esperam e ter sim, uma barriguinha.

E como eu faço para não me sentir mal com tudo isso? Eu gosto de mim. Falo desse assunto aqui hoje porque muita gente, ainda hoje, sente vergonha de ficar pelado na frente do parceiro. Agora, quero dizer pra vocês que é possível, sim, ser gordo (ou magro demais) e se sentir desejado e desejável.

É sempre fácil? Não. Sei que quem está fora dos padrões é motivo de chacota e que servem de ponto de referência (“ali do lado do gordinho, do magrelo, do ser de coturno e meia arrastão”).

De tudo isso, a única coisa que me incomoda é comprar roupa; às vezes gosto de uma camiseta que consegue apertar bem no pneuzinho ou uma calça que acaba ficando larga demais onde não deveria.

Mas em geral, sou totalmente relax com a minha aparência física. Gostaria de ter uma barriga menor, sim. Talvez preferisse que meu nariz fosse menor, ou que os cabelos demorassem a começar a cair.

Porém, nunca tive nenhum problema em tirar a roupa – seja para fazer sexo, seja em um vestiário, seja para ir à praia. Ando pra lá e pra cá, muito feliz e satisfeito por ser quem eu sou.

Na cama, então, nem se fala. Se o cara já me conhece, já me viu, já me beijou, já me abraçou, já me apalpou, ele sabe o que vai encontrar quando eu tirar a roupa. Ou ele acha que eu vou usar uma barriga postiça, tipo pegadinha do malandro? Que quando eu me despir ele vai ver o corpo de um modelo? Claro que não. Ele sabe que vai encontrar um pneuzinho aqui, alguma coisa fora de forma ali. Pra quê sentir vergonha?

Notem que ter problemas com o próprio corpo não é exclusividade de quem está acima do peso. Conheço muita gente magra, mas que não está em forma (vulgo trincado) e fica querendo transar no escuro e se enrola num lençol pra ir ao banheiro. Eu não. Fico peladão mesmo, no claro, de dia, o que for.

Nunca tive problemas para arranjar homem. Eu não sou tão paquerado como alguns dos meus amigos. Mas eu não preciso ter mil pretendentes para massagear o meu ego.

A auto-estima é algo que se constrói por dentro e não com fatores externos. Você pode receber todos os elogios do mundo, mas se você não tem confiança em si mesmo, você não vai conseguir acreditar no que estão lhe dizendo.

Meus homens também não são de parar o trânsito. Já tive alguns? Sim. Foi legal? Sim, mas não porque eles eram bonitos. O importante é que fossem gostosos, carinhosos, atenciosos. E isso não tem qualquer relação com a beleza exterior.

É ótimo ver gente bonita. Não estou aqui pra fazer apologia a gente bonita (embora eu realmente acredite que deveriam pagar um imposto para sair nas ruas – brincadeira). É simplesmente para entendermos que não há nada que se possa fazer. Você é como você é, e tem que gostar de si assim mesmo. É o que tem pra hoje.

Não é fácil olhar para si e enxergar a beleza que temos, mas não podemos deixar de viver muitos prazeres (como o sexo livre, sem vergonha, ou ir à praia) por conta de quem somos.

Só é preciso entender que não iremos agradar a todos. Não gostou de mim? Não me achou sexualmente atraente? Ok, eu não quero transar com todas as pessoas do mundo.

Eu vim ao mundo para viver do jeito que eu acredito, para dar alguma alegria a quem me cerca, para respeitar os outros seres humanos, independente de como sejam.

Você pode escolher o que fazer com as críticas. Vai se afundar, se esconder, se meter em dietas milagrosas ou vai tentar viver de maneira mais saudável, inclusive se aceitando melhor?

Eu escolhi o meu caminho há muito tempo. Eu vim aqui é pra ser feliz. E para quem acha que criticar os outros por algum defeito é uma mega ofensa, deixo Bono Vox falar por mim:

There is nothing you can throw at me that I haven’t already heard

Anúncios

Sobre The Serious

Capricorniano nato, organizado e extremamente perfeccionista. Idealizador, que quer conhecer o mundo todo. Turismólogo por formação. Brasileiro e orgulhoso disso! Ama bife de picanha com arroz, feijão, farofa e batata frita e não abre mão de uma boa dose de Absolut, seja com coca, com suco, com gelo. Leitor ávido de todos os tipos de livro. Ouve todo tipo de música, de Cher à Victor e Léo. Adora uniformes e ternos. Viciado em viagens. Postagens às quartas.

Publicado em julho 4, 2012, em Pensamentos, The Serious. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: