Qual seu número?

Dias atrás assisti o filme “Qual seu número?”, com Anna Faris (mocinha que parece a Britney) e Chris Evans (lindo-tesão-bonito-e-gostosão) no elenco principal. O filme é mais do mesmo no gênero comédia romântica, mas tem uma sinopse interessante. Segue:

Em ‘Qual seu Número?’, Ally é uma garota que se depara com uma pesquisa de uma revista feminina que mostra que mulheres que tiveram mais de 20 parceiros sexuais na vida tem 96% de chance de não se casarem. Desesperada, ela decide revisitar seu passado de ex-namorados com o intuito de encontrar o homem dos seus sonhos sem ultrapassar este número mágico.

Depois de assistir e rir bastante das situações cômicas do filme, parei pra pensar e resolvi fazer a linha Ally e listar todos os caras que já transei. Minha lista parou no 7º nome.

Enquanto eu listava – e lembrava de cada um – me veio à cabeça a real importância disso na minha vida e na vida das outras pessoas. E de verdade? Não tem importância alguma!

Não importa com quantos caras eu tenha transado, com quantos caras você tenha transado e nem com quantos caras o boy que você está saindo tenha transado. Esse tipo de conta não faz o menor sentido e só nos traz coisas ruins. A minha lista, se comparada ao “mundo gay”, foi bem baixa, mas isso não significa que eu seja mais puro, mais santo ou menos experiente do que um amigo meu que tenha perdido a conta de com quantos caras transou ou de um outro que tenha parado de contar no 25.

Isso não importa.

Esse tipo de comportamento só nos limita e nos faz refém da sociedade hipócrita em que vivemos. Pensar que, por ter transado com muitos caras, você seja sujo, podre, puto ou que não se dá ao valor, só alimenta ainda mais o preconceito que vivemos nas ruas.

Se fiz, foi porque eu quis e do que eu faço, não me arrependo.

Felizes daqueles que tiveram várias experiências sexuais na vida, vão ter mais histórias pra contar pros seus filhos, netos e bisnetos. Eles sim sabem que a vida é mais do que rótulos, tarjas e comportamentos piegas.

A vida pode ser muito mais rock’n’roll, é só a gente se permitir.

Se a pessoa que está com você se importa com quantos caras você já transou e se “seu número” a assusta, meu caro amigo, ela não é pra você. Simples assim.

Lembrando que sempre com proteção, ok? CAMISINHA SEMPRE!

Pra não perder a chance de bisbilhotar, lá vai: com quantos caras já transou?

Anúncios

Sobre The Silly

Um perfeito reclamão, extremamente afobado e muito desastrado. Quero tudo e quero agora. Comunicador por formação e por paixão. Brasileiro com passaporte turquesa. Ouço todo tipo de música, mas é com o bom e velho pop/rock que eu me entendo bem. Adoro comer e não vivo sem chocolate. Canceriano clichê e romântico fundo de quintal. Leio muito e coleciono toys. Morro com barbas por fazer (de preferência clarinhas). Harrymaníaco incurável.

Publicado em agosto 30, 2012, em Pensamentos, The Silly e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: