Arquivo da categoria: The Joker

O que eu quero ?

Primeiro: Não quero Pudim, nem Tangerina e Nem Bukkake, pelo menos não agora, ok, Mario Alberto? HAHAHAHAHAHAHAHAHAH

Mas falando sério,

Antes da discussão, um diálogo adaptado:

A: Antes nos dávamos tão bem, hoje em dia brigamos sempre, por tudo, por mais ínfimo que seja !

B: Estavamos no começo, agora nos conhecemos melhor, temos mais intimidade, e com o tempo as relações amadurecem e as diferenças surgem !

E bom, o diálogo se estendeu por um bom tempo com coisas que não são tão interessantes…mas e a partir do trecho selecionado que quero falar !

Como assim: com o tempo e a intimidade o relacionamento amadurece e as dificuldades surgem?…é isso que é ser casal ? É se habituar ao outro com o passar do tempo, tipo, acostumar-se a ter certa pessoa ao lado ? e todo o encanto tornar-se paciência para discutir diferenças para manter o acomodamento progredindo ?

Desculpem, mas se for isso eu não quero amadurecer, sei que digo isso correndo o risco de ficar velho e solitário, mas não, eu não quero uma estabilidade cômoda!

Eu quero um namoro eterno, quero brilho nos olhos sempre, quero a surpresa das mensagens, o sorriso nas pequenas ações … Mas se isso so cabe ao início de um relacionamento, então que eu viva de inícios com as mais diversas pessoas ! Chamem do que quiser, de leviano, de superficial e de insensível, que eu lhes direi que as emoções do começo são bem intensas. Quem nunca sentiu aquele tremer de corpo junto ao tremer do celular esperando que seja a mensagem DAQUELA pessoa ? Aquele sorriso, que ninguém entende, pois só você esta imaginando a pessoa em sua cabeça e vem aquela intensa saudade e vontade?

Quer coisa mais sensível do que o jogo da conquista? A busca pelo sentimento alheio recíproco … pensar em palavras para conquistar…

Ou seria intensidade e sensibilidade as discussões rotineiras? A acomodação, o sentar em casa cada um num sofá, o se isolar do mundo porque já esta cansado e já se tem garantido alguém pra desejar boa noite ?

Não, eu não quero desejar boa noite, eu quero conferir uma boa noite, quero mostrar a lua e à Lua a pessoa que quero conquistar. Quero poder a cada dia descobrir novas formas de conquistar um sorriso, de enxugar uma lágrima.

Quero rir das trapalhadas e não brigar pelas diferenças, Quero dormir ansioso pela visita e não acordar puto pela discussão. Quero chorar de saudade e não de raiva. Quero fechar os olhos para boas surpresas e não para tolerar fatos.

Quero poder sentir em cada abraço apertado a respiração do outro, fechar os olhos e relembrar a sua face…buscar no dicionário palavras novas pra dizer e quando essas esgotarem quero inventar novos dialetos, novas línguas, quero inventar novas maneiras de estar ao seu lado e de fazer com que queira estar ao meu…quero conquistar todos os dias…

NÃO, eu não quero me acostumar, não quero amadurecer, quero namorar eternamente, viver o momento onde as diferenças só tornam tudo mais excitante e não frustrantes !

Boa noite posso dizer ao William Bonner (Porque me recuso a falar com a Fátima Bernardes com aquele programa novo horrendo hahah)

Eu não quero alguém como simples garantia de estar lá, pois dessa forma sei que continuaria sozinho…é preciso ter alguém em quem pensar. Estar junto é ter sempre que buscar maneiras de conquistar a outra pessoa diariamente.

Enfim, é isso que eu quero ! E se for preciso vou namorar 300, mas garanto que farei desses 300 os mais felizes !

Bjos a todos vcs, seja 1, 2, 300 ou mil ! =)

Anúncios

A insistente !

Outro dia eu fui pra cama com uma menina – sim, eu curto =P.

Enfim, já havia ficado com ela algumas vezes e ela sabe quem eu sou de fato, mas mesmo assim, quis ir pra casa comigo e tudo mais. Estava indo tudo muito bem, até o momento em que ela começou a insistir – e quando digo insistir é porque ela repetiu várias vezes – a mesma pergunta: “Mas você prefere meninos, né?”.

OK, ai vão algumas considerações:

– Se ela foi pra cama comigo, aquele com certeza não era o momento para insistir em tal pergunta

– Se eu estava tendo um momento com ela não interessa o que eu prefiro. No momento era ela que eu preferiria, certo?

Que pergunta mais quebra clima!

Se ela acha tanto que eu prefiro caras, então porque raios quis sair comigo mais de uma vez?

É, coisas que ninguém explica, mas depois de algum tempo resolvi responde-la:

“Óbviamente que prefiro meninos, sabe porque? Eles não fazem esse tipo de pergunta quando estão comigo!”

E ai está mais umas das piadas que o cotidiano conta…Até a proxima, menines =*

Ah, relaxa, eu curto menininhos!

Tem coisas na vida que parecem não ter explicação, né? Vou descrever uma breve situação que parece ser uma dessas coisas.

Festa de formatura de alguém, “bons drink” com absolut, lambrusco, saquê e black label…enfim tudo para deixar alguém mais sociável =)

Eis que nesse momento de alta socialização me deparo com uma das meninas mais desejadas do meu curso, e obviamente fui socializar…logo após um pouco de papo o seguinte diálogo decorre:

Eu: Então, eu preciso muito te beijar.

Ela heista e faz uns grunhidos.

Eu: Ah, relaxa, eu curto menininhos =D

Ela (abre um sorrisinho): AAAAA, então tudo bem !

E enfim, o beijo ocorre…e detalhe, não foi a primeira vez que ocorreu uma situação desse tipo comigo, tanto que sempre falo pros meus amigos héteros: chega na menina e fala que você é gay que ela fica contigo! Hahaha

Alguém mais já presenciou algo assim? =D

Beijos gelados, por que já está quente o suficiente lá fora (Y).

Charge =D

Ae pessoal, tudo bom ? =D

Novamente vim dividir um charge com vcs ^^

Há quem ache o charge a seguir ofensivo e bla bla bla…eu discordo, achei de um humor muito inteligente, e afinal é uma piada, então entendam que é apenas uma piada sobre uma situação, não uma forma de ofensa a ninguém, ok? =D

(Legenda: Padre da direita: Veja aquele rapaz despudorado ferindo nossa moral cristã. P. Da esquerda: Qual? P. da direita: Aquele bonitinho)

Bom, espero que curtam tanto quanto eu e que possa conseguri ao menos uma risadinha de vcs =*

Quase sem querer…

Hoje estava lá curtindo (?) uma esteira na academia, quando começou a tocar uma certa música no meu Mp3, uma música que me remeteu ao passado, por volta de uns 5 anos atrás, época em que eu estava em “início de carreira” (If you know what I mean – olha mamãe, sou poliglota) e então percebi que gostaria de compartilhar com vocês as sensações que essa música me trouxe naquela época. A música em questão, referenciada no título tem a seguinte letra:

Quase sem querer (Legião Urbana)

Tenho andado distraído,
Impaciente e indeciso
E ainda estou confuso,
Só que agora é diferente:
Sou tão tranqüilo e tão contente.

Quantas chances desperdicei,
Quando o que eu mais queria
Era provar pra todo o mundo
Que eu não precisava
Provar nada pra ninguém.

Me fiz em mil pedaços
Pra você juntar
E queria sempre achar
Explicação pro que eu sentia.
Como um anjo caído
Fiz questão de esquecer
Que mentir pra si mesmo
É sempre a pior mentira,
Mas não sou mais
Tão criança a ponto de saber tudo.

Já não me preocupo se eu não sei por que.
Às vezes, o que eu vejo, quase ninguém vê
E eu sei que você sabe, quase sem querer
Que eu vejo o mesmo que você.

Tão correto e tão bonito
O infinito é realmente
Um dos deuses mais lindos!
Sei que, às vezes, uso
Palavras repetidas,
Mas quais são as palavras
Que nunca são ditas?

Me disseram que você
Estava chorando
E foi então que eu percebi
Como lhe quero tanto.

Já não me preocupo se eu não sei por que.
Às vezes, o que eu vejo, quase ninguém vê
E eu sei que você sabe, quase sem querer
Que eu quero o mesmo que você.

Claro que por ser uma música, cada um tira sua própria interpretação, mas como disse, gostaria de dividir a minha interpretação com vocês!

A imagem que essa música me passa é a do momento de “auto-descoberta”, ou melhor dizendo auto-entendimento, é quando você começa a perceber que por mais que digam que é diferente, é tudo normal, é tudo bonito é que sempre há pessoas ao seu lado para te apoiarem, e justamente nessa época estava começando a fortalecer a amizade com The Serious e The Ginger, então é impossível não lembrar dos bons momentos que passamos juntos quando estávamos nos entendendo, nos divertindo da nossa forma, aprendendo a confiar uns nos outros e sempre rindo de tudo,  incluindo brincadeiras noturnas em esquinas, caminhadas, terrenos abandonados, visitas inesperadas de bêbados em uma biz, filmes de romance. Tudo era muito bom, vivíamos numa inocência onde nossa vida parecia underground de tal modo a dar um gostinho de viver perigosamente.

Claro que anos se passaram, muitas coisas mudaram, novos amigos apareceram, mas toda vez que ouço a música lembro de como a vida foi, e sempre será diversão pura ao lado das pessoas certas que veem o mesmo que eu !

Um beijo pra vocês e pra Leila Lopes (que anda sumida) !

O estranho no ônibus

Calma pessoal, por mais que o título do post remeta à um conto erótico, juro que é totalmente o contrário.

Faz algum tempo que queria desabafar isso pra alguém, mas não tinha com quem falar, não que eu não tenha amigos, mas é uma história tão platônica, que eles provavelmente iriam me achar estranho ><

Enfim, não há muito o que apresentar ou explicar pois o nome já diz tudo.

Um dia estava eu pegando o ônibus para faculdade, quando o vi pela primeira vez, e BUM, minha atenção foi toda direcionada a ele por todo o percurso, e logicamente descobri que estudamos na mesma facul. Bom, depois deste dia, tornou-se impossível nao reparar na sua presença, e então começa aquela velha historia do “O que fazer para ser notado? Como fazer para ele saber que eu existo?”

Queria que apenas estas perguntas fossem suficientes, pois ainda existe a principal (por favor, ninguém me entenda mal com as palavras que usarei ok?), mas ainda é preciso saber: “Será que ele é?”

Pq raios fico tão eufórico quando vejo essa pessoa? Não conheço-a, nunca conversamos.

Imaginem então, o dia que ele sentou ao meu lado no ônibus? Obviamente não queria mais descer uhauhauhahua

Logo, estou cheio de perguntas e poucas respostas,  mas continuo tendo encontros com esse amor platônico do transporte coletivo (isso quase parece uma história do Nelson Rodrigues não?)

Enfim, manterei vocês informados sobre futuros acontecimentos relacionados. Se alguém possui situações semelhantes, dividam aqui  😉

Grande bjo e abraço

E para finalizar, um trecho de New Order!

“You Used to be a stranger, now you are mine” (quem dera 😉 )

1ª Charge

Bom, eu não sou conhecido como o piadista do grupo a toa, certo? Então sempre que puder vou tentar dividir muitas situações com o máximo de bom humor possível.

Para começar, eis aqui um charge antiguinha até, da época em que o Orkut (lembra dele?). Só se permitia 12 fotos e apenas um álbum.

Sempre fui taxado de O insensível, o sem coração do grupo, então, nada mais coerente que começar com essa charge.

Afinal, quem nunca se identificou com ela, pelo menos em algum momento da sua vida?

“?”

Queridos leitores, colegas, simpatizantes e amores…

Peço desculpas por não ser o autor mais assíduo do momento, porém tal situação me colocou em reflexão, pois ao ser questionado sobre minha ausência, dizia estar sem criatividade, sem ter o que escrever. OPA, peralá, o que faltaria, afinal, para um bom post?

Faltam pessoas na sua vida? Não

Faltam histórias acontecendo? Não

Faltam Rolos? Não, pelo contrário, estão sobrando rolos

Falta vocabulário? Não (ao menos eu creio que não)

E então? Da onde vem a critividade? De onde virá o fato que me deixará animado a ponto deu querer relatá-lo? O que está faltando afinal?

Ok, a resposta perfeita poderia ser “Tempo”, mas se tenho tempo para rolos, por que não tenho tempo para mim? Digo, para uma reflexão sobre tudo que está ocorrendo e tudo mais?

Agora sim parecemos ter uma pergunta melhor, com mais nexo, mas será que eu quero de fato assumir a resposta?

Gente, parece que antes que eu termine esse post, meu botão de “?” aqui do computador vai afundar. Então o jeito é parar de ficar buscando apenas questionamentos e trabalhar em algumas respostas.

Então chega de enrolação, né? (E lá se foi mais uma interrogação).

De fato, acho que muitas vezes tenho medo de refletir sobre tudo que está acontecendo, afinal, perguntar é fácil, responder pode ser difícil, quando não, assustador. Principalmente quando somos nós mesmos, tendo que responder a nós mesmos sobre nossas ações.

Sinceramente, não sei nem se esse texto está com algum nexo, pois é assim que funcionamos algumas vezes: quando somos questionados e cobrados de nossas ações, muitas vezes simplesmente enrolamos e nos acomodamos nas situações, evitamos refletir, e geralmente, mantemos os mesmo erros, mas evitamos as dores! (Será?)

Em breve pretendo relatar mais causos, histórias e situações, e assim, aprender mais comigo mesmo, permitir-me refletir, além de dividir e quem sabe, até ensinar 😉

Então, um grande beijo a todos, e aguardem =)

The First Joke

São tantas as palavras que as vezes fica difícil começar. Mas vou tentar!

Parece até ironia ao dizer que até a forma como tudo começou foi com uma piada!

Eis que um dia, lá estava o jovem…eu… na casa de um amigo, aonde eu iria pernoitar. Enfim, estava animado, pois meu amigo tinha acabado de instalar speedy em sua casa ( e sim, naquela época o speedy era artigo de luxo!). Tudo estava planejado, afinal, eramos jovens (bem jovens) cheio de hormônios e com internet, isso só poderia significar uma coisa: Pornô!

Ok, provavelmente você, leitor, deve estar imaginando o rumo previsível dessa história, mas não é tão comum como parece.

Voltando, tudo estava planejado, até o momento em que veio a piada: A mãe do meu amigo iria sair pra curtir a noite, então, como toda boa mãe, antes de sair deu as recomendações: “Bom crianças, divirtam-se, se tiverme fome, vão a geladeira, comportem-se e olha lá esse computador ein, se quiserem vão ao site da G-Magazine, recomendo”.

Obviamente era uma piada dela, que meu amigo muito reclamou, e eu inicialmente também, mas aquilo ficou na minha mente. Eis que um dia eu tive internet banda larga em casa, e então resolvi seguir o conselho da mãe de meu amigo, e pronto, tudo começou! (Obs: naquele dia vimos só playboy)

Era engraçado, pois me sentia o maior pecador de todos, ao ver aquelas fotos e gostar!!!!!! Essa sensação seguiu por muito tempo, porém eram apenas fotos, eu apenas olhava e me atraía, não tinha nada de mais, né? hehehe

Até que em outro momento com outro amigo conheci o fatídico bate papo uol (sim, podem rir, eu falei que era piada) enquanto ele caçava meninas, eu reparei que a maioria eram boys atrás de boys, então, aproveitando meu anonimato e conforto do lar, resolvi entrar e caçar…amigos, apenas, amigos ! dizia que era HT, mas sem preconceitos. Tal situação durou bem e por um bom tempo até…até aquele dia!

Antes de continuar preciso comentar algumas coisas: Na época dos fatos descritos eu era bem diferente do que sou hoje, tanto em mentalidade como fisicamente. Eu era extremamente carente, sonhador e romântico utópico, porém muito mal apresentado fisicamente, acima do peso, péssimo gosto para roupas, óculos, aparelho (os malditos quadradinhos) e um corte de cabelo que é melhor nem comentar! Logo, eu era carente, mas não havia insana alma que se interessava em se aproximar de mim, a não ser um boy, que um dia demonstrou interesse. Oxe, como assim? Alguém querendo de fato ficar comigo, que está correndo atrás de mim? E não está dizendo que sou legal demais, que um dia encontrarei alguem tão legal quanto pra mim! OMG, o que fazer? Isso é muita novidade! Enfim, num ataque de loucura e carência aceitei o convite do boy, e rolou meu primeiro beijo e claro, o primeiro super ataque de paranoia!

Desde o beijo, fiz de tudo para não me aceitar, para fingir que nada tinha acontecido e que eu não me interessava pelos menininhos bonitinhos que passavam pela minha frente. Eis que o tempo passava, a paranoia aumentava, e eu não tinha com quem conversar, tudo parecia errado, confuso, até o momento em que resolvi voltar ao uol, onde encontrei outro boy, com quem o papo foi diferente, ainda sim, me apresentei como HT, e ele tb. Ótimo, eramos dois HTs open mind hehehe, com mesmas ambições, historias parecidas, até visual parecido. Tudo era tão parecido que até hj tenho orgulho de dizer que é praticamente meu irmão, pois foi ele quem me deu suporte para tudo que estava rolando, e claro, em troca ofereci tal suporte a ele, pois estavamos passando pela mesma situação. Bom, não só trocamos suporte, como também trocamos alguns meninos, mas isso é outra história 😉