Arquivos do Blog

Um pouco mais de leveza – é disso o que todos nós precisamos.

“Não coma gordura, coma fibras. Não ligue para ela no dia seguinte, espere até quarta-feira. Não beba álcool, beba água. Durma no mínimo oito horas por dia. Não fale palavrão. Economize mais dinheiro. Pense mais no seu futuro. Raciocine melhor antes de falar. É tanta proibição que às vezes até essa existência maravilhosa me parece um pouco monótona, sufocante, sem sal e demasiadamente engravatada. Será que é realmente preciso viver todo dia num militarismo tão rígido assim? E daí que hoje você vai atrasar cinco minutos? O importante é conseguir chegar sorrindo e se possível cantando para todo mundo ouvir.

Existem dias nos quais precisamos esquecer a porra do filtro solar e libertar um pouco do Charlie Sheen que existe dentro de cada um de nós. A vida é incrivelmente curta para ser levada tão a sério. E quer saber? Não vejo motivo pequeno demais que não possa servir como estopim para o início de uma grande comemoração. Vamos brindar e precisa ser agora!

Não estou dizendo para sair por aí loucamente, incendiando quartos de hotéis ou acreditando que em suas veias corre sangue de tigre. Nem estou sugerindo que você troque o leite por uísque no café da manhã. Não é nada disso. Não quero que você se torne o inimigo número um da lei ou que durma numa cela esta noite, apenas sugiro que aumente o volume do seu Rock’n’Roll, que saia mais de casa e perceba de uma vez por todas o quanto a vida é geralmente muito mais descomplicada do que insistimos em torná-la com nosso mar de reclamações diárias. Se for pra comemorar, faça como o Charlie Sheen – não aceite nada menos do que uma festa épica com uma semana de duração. Aproveite melhor seu tempo e, se puder, seja lembrado pelas suas gargalhadas e não pelo seu mau humor.

Sinto informar-lhe, mas seu coração infelizmente um dia vai parar sem qualquer aviso prévio, por isso meu amigo, não tenha tanto medo da chuva, nem guarde essas palavras lindas somente para você. Amanhã pode ser tarde demais para pegar sua avó no colo e agradecê-la com mil beijos pelos tantos bolos gostosos que ela fez só para te ver sorrir. Amanhã, você pode não ter mais tempo para dizer a sua amada o quanto você gosta de esquentar- lhe os pés debaixo do edredom. Amanhã, pode ser que você não consiga nem mesmo escrever um bilhete, apenas para dizer à sua mãe o quanto você a admira e sente-se grato por tudo que ela lhe fez, faz e se puder ainda fará.

Quando foi seu último porre? Não lembra? Que tal abrir uma garrafa de algo bem alcóolico e brindar a imensidão da vida com o maior número de amigos que conseguir reunir no bar mais próximo? Provavelmente, você irá sentir uma imensa vontade de dizer o quanto essas pessoas são importantes na sua vida e quer saber? Faça como os bêbados fazem: repita inúmeras vezes o quanto cada amigo seu é imprescindível para sua sobrevivência de sua alegria! Diga na cara deles o quanto você os acha foda. Abrace-os até quase quebrar-lhes os ossos e relembre com eles os bons momentos que viveram juntos. Ria até perder o fôlego ou chore, se essa for sua vontade. Homens também choram! Não tenha vergonha de derramar uma lágrima e sim de não achar nada minimamente emocionante.

Lembre-se sempre que morrer não é algo opcional, mas que viver de verdade é, com toda certeza. Por isso, insira uns dias “à La Charlie Sheen” na sua rotina robótica, quebre algumas regras, esteja preparado para enfrentar as mais violentas ressacas e, se possível, tente lembrar os bons momentos no dia seguinte. Se não conseguir, pergunte a um amigo ou aguarde as fotos no Facebook. Um pouco mais de leveza – é disso o que todos nós precisamos.”

By Ricardo Coiro

Quem já não quis fugir sem mesmo ter algum lugar pra ir??? A vida não é fácil como parecia quando éramos crianças, mas também levamos tudo tão a sério que ela nem poderia ser, então ai vai minha dica, que vale pra mim e pra vocês, saiam da rotina, deixem o certo e errado de lado e mergulhem em algo novo, a vida é curta e a rotina é maçante. VIVA!

😉

Anúncios

Em Busca do Equilíbrio

Nos últimos quatro dias pensei muito sobre o tema que conversei com The Silly e The Serious. Pensei bastante sobre nossa divisão e sobre a importância de cada em nossas vidas.
Realmente assim como foi dito por ambos em seus posts desta semana nossas vidas são divididas em 4 vertentes, e estas são responsáveis pela nosso equilíbrio ou não.
Elas são interligadas pela emoção, pela razão, pelo desejo, pela ambição, pela paz. Estão sempre andando juntas em nossos dias, e temos que nos dividir, sem abandonar nenhuma, e ai que esta o problema. Como equilibrar sem dar mais atenção a alguma?
Essa foi minha pergunta durante o passar de horas desses dias, como equilibrar? Como?
Minha conclusão foi a seguinte:
Agora não tem como!
Ok pausa para risos…

E ai vai a explicação:  Quando crianças a família e os amigos são nossa vida. Não temos nada além para nos preocupar. Vivemos a rotina infantil, de casa para escolha, da família para os amigos. E como não temos independência não temos que equilibrar nada. Mas a adolescência chega e com ela vem os amores, esses que dominam nossas emoções e tomam toda a atenção, todo o tempo e aprendemos a lidar com família, amigos e amores, o que já parece impossível, e quando achamos que não poderia complicar, nos chamam de adultos, e vem o trabalho para deixar – nos mais confusos ainda, com menos tempo para a família, para os amigos e amores.
Até aqui acredito que todos estejam se perguntando: ‘ Você pensou a semana toda para deduzir isso? OI’… Calma ai vem a explicação.
Quando crianças e adolescentes nos não nos preocupamos com isso, pulamos de cabeça na vida, somos inconseqüentes, não temos medo, e muito menos traumas e perdas, nossos valores são pequenos e nossos princípios estão sendo formados, mas quando adultos tudo muda, queremos conclusões, queremos tudo, mas somos responsáveis, a família é mais importante que antes, o trabalho é necessário, os amigos são nossa válvula de escape e os amores são nossa esperança de um dia termos ‘nossa’ família.
Tudo fica complicado, não existe o que tem mais valor, mas ao mesmo tempo temos que valorizar mais algo, o mundo pede isso. Trabalhar a cada dia mais, pois o futuro depende disso, sua carreira depende disso. Curtir sua família ao extremo, pois se erramos crianças e nossos pais e avos adultos, hoje nos somos adultos e o tempo para eles parece mais acelerado. Os amores requerem mais cuidado, agora temos cicatrizes das loucas paixões da adolescência, temos mais esperança e queremos a cada dia mais uma parceria estável. E ainda tem os amigos, que assim como você tem que lidar com tudo, e mesmo assim estão ao seu lado quando precisa daquele momento de descontração.
Pois é, a vida não é nada simples. E quanto antes equilibramos as coisas, menos nos arrependeremos quando nossa força tiver acabado, nossa carreira estiver construída e nossos pais e avos não mais aqui estiverem.

Essa semana percebi também o quanto estou longe deste equilíbrio, o quanto minha família é importante, eles são minha base, minha estrutura. O quanto tenho que dedicar mais tempo ao trabalho, pois o futuro espanca portas e janelas.  O quanto o amor é fundamental na minha vida, é meu ar, meu combustível. E o quanto faz falta um abraço dos amigos, os quais entendem a loucura, mas mesmo assim sentem sua falta.


Acho que meu post foi para outro lado, mas mesmo assim deixo meu desejo de equilíbrio nas entrelinhas!!!!

😉